MONTAIGNE E OS CAMINHOS PARA UMA CABEÇA BEM FORMADA

Matheus Passavante Amaral

Resumo


O presente artigo tem por objetivo reconstruir e apresentar as ideias de Montaigne a respeito da educação. Para tal, nos embasamos no ensaio de número 26 do livro I, cujo título é “Da educação das crianças”. Para compreendermos suas ideias contextualizamos a maneira como Montaigne escreve, isto é, através de ensaios, e as motivações que os leva a escrevê-los. Com isso, identificaremos os valores implícitos na sua argumentação sobre a educação. É apresentada também a crítica que Montaigne faz à pedagogia da tradição humanista escolástica, cuja crítica, elaborada a partir das noções de cabeça-cheia e cabeça bem formada, permanece tão atual e pertinente quanto foi em sua época. Por fim, é denotada a função do professor e os modos que conduzirá seus alunos à formação da cabeça bem formada, e então, os caminhos que o aluno deverá percorrer para a concretização de tal formação. Como é mostrado, tal formação se dá através de atividades de visitação ao mundo. Pretendemos com esse artigo trazer contribuições tanto para a educação quanto para o ensino de filosofia

Palavras-chave


Cabeça bem formada, educação, formação

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Universidade Estadual do Ceará - UECE

Centro de Humanidades - CH

Curso de Graduação em Filosofia                                   

Occursus - Revista de Filosofia

ISSN: 2526-3676

Qualis B3


APOIO: