O CORDEL DO SANTO E DA FÉ: UMA LITURGIA PARA A POLÍTICA NO PENSAMENTO DE HANNAH ARENDT E GIORGIO AGAMBEN

Antonio Justino Arruda Neto

Resumo


Este texto tem como objetivo discutir a relação do movimento político-social, denominado de ‘Caldeirão de Santa Cruz do Deserto’, localidade da região do cariri, interior do estado do Ceará, na cidade do Crato. Dois indivíduos se encontram o Padre Cícero Romão e o ‘beato’ José Lourenço, esse motivado pelo ‘padrinho’ constitui uma comunidade, baseada nos princípios cristãos e preceitos do Catecismo católico. Por conseguinte, o problema de pesquisa decorre do cordel com as narrativas do acontecimento, por isso, em que medida as ações desempenhadas pelos membros desta comunidade convergem para uma liturgia política articuladas ao pensamento de Hannah Arendt e Giorgio Agamben? Responderemos esse questionamento em compreender, através de dois termos que observamos a ‘desobediência civil’ e a ‘liturgia política’ como uma ‘forma-de-vida’. Sendo assim, o texto será divido em três seções: (1) corresponde ao político do ‘Caldeirão’, explicaremos o movimento político; (2) A desobediência civil em Hannah Arendt, identificaremos a questão do conceito em razão das ações desenvolvidas pelos membros da comunidade e (3) O conceito de liturgia como uma forma-de-vida, ou seja, a inseparabilidade da vida de fé.


Palavras-chave


Caldeirão de Santa Cruz do Deserto. Beato José Lourenço. Desobediência Civil. Liturgia.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Universidade Estadual do Ceará - UECE

Centro de Humanidades - CH

Curso de Graduação em Filosofia                                   

Occursus - Revista de Filosofia

ISSN: 2526-3676

Qualis B3


APOIO: